Dicas mecânicas

Suspensão: quando é necessário revisar este item em seu carro

Suspensão: quando é necessário revisar

Este item influencia diretamente na segurança do seu veículo.

Suspensão: quando é necessário revisar

Suspensão: quando é necessário revisar: Ao transitar com o seu veículo por aquelas ruas esburacadas ou cheias de lombadas podem causar danos ao sistema de suspensão do seu carro. Quando tudo está funcionando perfeitamente, você praticamente não sente as instabilidades do carro nesse tipo de terreno.
Porém, quando o sistema apresenta falhas, o motorista e os passageiros logo começam a perceber barulhosa, chacoalhadas e até mesmo uma pancada mais rígida quando passar por um buraco ou lombada.
Portanto, a função vital da suspensão e seus componentes é absorver as irregularidades do terreno em que você está trafegando com o seu veículo. O sistema de suspensão mantém a aderência dos quatro pneus com o solo e atingem diretamente o desempenho do carro.
A cada revisão é recomendável que se faça um check-up do estado da suspensão e seus componentes. A cada 40 mil quilômetros rodados deve ser trocado o sistema por completo, para evitar que possíveis falhas causem acidentes.

Suspensão: quando é necessário revisar

Principais componentes do sistema de suspensão
Todas as peças que compõem esse sistema devem ser verificadas também a cada revisão e em caso de danos devem ser trocadas de forma independente para que o conjunto esteja sempre em pleno funcionamento.
Barulhos, ruídos e a rigidez no volante normalmente são indícios de problemas nas peças que compõem esse sistema. Mas é importante lembrar, a cada novo reparo é necessário fazer um novo alinhamento da direção e pneus.

Amortecedores
Este é o componente essencial para o funcionamento da suspensão. Ele trabalha para absorver os impactos do veículo com o solo. Problemas nessa peça costumam ser prejudiciais para o funcionamento da suspensão e causam desgastes excessivos nos pneus. Ao passar por um buraco ou lombada e os amortecedores apresentarem barulhos é necessário realizar o reparo o mais rápido possível.

Mola
É componente principal dos amortecedores e serve para absorver as imperfeições do terreno que o carro esta trafegando. Por fazer o trabalho de amortecimento, subida e descida ela pode apresentar barulhos e instabilidade quando estiver com problemas.

Braço oscilante
Esta peça serve essencialmente como apoio para a coluna de suspensão, gerando a oscilação necessária entre a suspensão e o chassi. Essas peças têm formato de bucha e apresentam barulhos na suspensão quando estão danificadas.

Pivô de suspensão
Trabalha diretamente na coluna de suspensão do veículo, auxiliando no movimento de subida e descida da peça. Esse sistema trabalha diretamente na oscilação angular necessária e quando está danificado apresenta ruídos.

Barra estabilizadora
Essa peça faz a ligação essencial entre as duas colunas de suspensão. A sua função é dar estabilidade ao veículo ao realizar as curvas e trafegar em altas velocidades, mesmo nas retas. Se o carro estiver mais instável e fazendo barulho na suspensão, possivelmente essa peça pode estar danificada.

Vida útil da suspensão
Ao procurar nos sites de carros à venda, é preciso verificar se o carro que você busca está com a suspensão boa. Via de regra o sistema de suspensão tem uma vida útil de aproximadamente 40 mil quilômetros.
Porém alguns componentes como as molas e amortecedores tem seu tempo de vida variados, dependendo de como o motorista utiliza o veículo. Essas peças devem durar no mínimo 30 mil quilômetros, mas podem chegar facilmente aos 100 mil quilômetros rodados dependendo do cuidado com as demais peças que compõem o sistema.

Tipos de suspensão
Cada veículo tem um tipo de sistema de suspensão que mais se adequa com as especificações da carroceria. São três os tipos de suspensões que podem ser usadas nos veículos, vamos conferir quais são:

Independente
Este é o sistema mais eficiente e pode ser encontrado em carros mais luxuosos, pois é uma das mais caras encontradas no mercado. Na suspensão independente cada roda absorver os impactos do solo sem transferir para as outras rodas e eixos. Esse sistema trabalha para proporcionar maior estabilidade e conforto para os ocupantes do veículo.

Semi-independente
Esse sistema faz com que as rodas absorvam parcialmente o impacto sofrido pelas demais do mesmo eixo. Por exemplo, a roda dianteira sofre um impacto e a esquerda recebe os reflexos dessa batida. Porém, o eixo traseiro não absorve esses impactos porque não é dependente do eixo dianteiro.
Esse tipo de suspensão confere uma boa estabilidade ao carro, mas pode deixar a desejar na absorção do impacto do terreno. Alguns carros, em versões exclusivas e mais luxuosas como o Volkswagen Gol podem ter até dois tipos de suspensão.

Dependente
Nesse sistema as quatro rodas são afetadas ao receber o impacto em qualquer uma delas, por isso elas são dependentes umas das outras. Esse sistema deixa o carro com menor estabilidade e conforto para os ocupantes. Nos carros mais populares, como o Fiat Palio, este é o tipo de suspensão mais utilizado.

Suspensão: quando é necessário revisar

Dicas para evitar problemas na suspensão
Problemas na suspensão são facilmente detectados pelos motoristas, porém é sempre importante cuidar para que eles não apareçam com frequência. Vamos trazer então 8 dicas para te ajudar a evitar danos no sistema de suspensão.

1. Faça revisões na suspensão e seus componentes regularmente. Isso evita que o desgaste natural ou falhas em algumas das peças danifique o sistema por completo.
2. Evite trafegar em ruas esburacas, mas se for necessário, pelo menos transite em baixa velocidade.
3. Verifique regularmente a calibragem dos pneus e evite carregar excesso de peso no veículo.
4. Não passe por buracos ou lombadas em alta velocidade. Isso pode gerar danos imediatos nas peças que compõem o sistema.
5. Quando estiver trafegando em ruas esburacadas ou passando por lombadas fique atento para possíveis barulhos.
6. Mantenha o alinhamento e balanceamento dos pneus sempre em dia para evitar sobre carga nas rodas do carro.
7. Não faça alterações na altura da suspensão. Por exemplo, evite rebaixar o veículo, isso pode causar problemas prematuros no sistema.
8. Ao fazer a troca de peças evite recondicionar os componentes que apresenta falhas. É sempre mais interessante trocar as peças com defeitos por componentes novos.

Gostou desse artigo sobre como revisar e manter a suspensão do seu carro em dia? Então que tal compartilhar esse texto com os seus amigos através das suas redes sociais? Afinal, é sempre importante saber um pouco mais sobre como funciona o seu veículo e como realizar a manutenção preventiva.