Entenda a diferença entre Potência RMS e PMPO

carreta_treme_treme

Caro consumidor, a transparência de informações e a qualidade de nossos produtos fizeram ao longo dos tempos o grande diferencial em nossos negócios aqui realizados. Preocupados com a prática cada vez mais freqüente de ¨ Marketeiros ¨ em distorcer as informações técnicas em alguns produtos com a única intenção de confundir os consumidores mais desavisados, sentimos a necessidade de esclarecer o seguinte:

RMS = Root Mean Square ? Média da Raiz Quadrada. Medida na onda senoidal, que representa a potência real, é medida ou encontrada atendendo as exigências técnicas e pode ser conferida com facilidade em um bom laboratório de som.

PMPO = Peak Music Power Output ? Potência Máxima de Saída Musical ou Pico Máximo de Potência. Medida em frações de segundo, que não representa a potência de saída.

Estes dois termos estão presentes nas especificações tanto de alto falantes como de amplificadores.

Acontece que devido a grande concorrência que existe no setor, algumas empresas usam o PMPO de forma indiscriminada, pois em alguns casos exibem valores até 10 vezes maiores do que a potência real, com isso os seus produtos ficam com wattagens astronômicas, fazendo com que alguns consumidores acreditem que estão fazendo um excelente negócio.

Recomendações:

Quando for comprar alto falantes ou amplificadores, verifique a potência destes produtos em RMS, pois é a potência real liberada pelo amplificador ou suportada pelo alto falante.
Despreze ou não dê importância as potências em PMPO, pois cada fabricante estampa em seus produtos o que melhor lhe convém, pois não existe controle para estas medidas.

Espero ter contribuído de alguma forma para o esclarecimento de alguns consumidores, e incentivado as empresas que mantém uma política de respeito para com seus clientes, que continuem neste caminho, pois temos certeza que só assim mudaremos o futuro.

Você já deve ter visto um alto-falante pequeno do tipo coaxial escrito “250 Watts” e pensa que é melhor que os outros, pois suporta altas potências. Mas não se engane, se é um coaxial ou triaxial de uma marca popular, provavelmente sua potência real (potência RMS) não é superior a 30 Watts RMS.

Essa é a jogada dos fabricantes, anunciar a potência PMPO (potência de pico) para vender seus produtos enquanto que a potência real dos produtos fica “escondida”. Já percebeu como os anunciantes de micro-system fazem o marketing de 3000 Watts, 5000 Watts, que coisa incrível, não? A potência PMPO, como o próprio nome diz, é a potência de pico e é cerca de 3,6 vezes maior que a RMS. PMPO, lançada originalmente na China, pretende mostrar quanto um amplificador pode fornecer ou um alto-falante aguentar de potência durante um intervalo de tempo extremamente curto.

Já a potência de programa musical adota a música como sinal de teste. Essa potência pretende dar uma idéia melhor dos níveis possíveis a serem praticados na utilização normal dos equipamentos de som, uma vez que o consumidor não utiliza o seu sistema de som com sinal de ruído rosa e sim com música. Essa potência normalmente é o dobro da potência RMS.

A potência RMS é a potência eficaz utilizada em todo mundo para amplificadores e alto-falantes. A medição de potência RMS utiliza uma sala a prova de som, onde o alto-falante fica instalado livre (sem caixa acústica ou painel. Nele é injetado a potência RMS que se deseja homologar, com o sinal de ruído rosa.

Nestas condições, o alto-falante deve permanecer funcionando por duas horas. Após o teste, deve ser feita uma avaliação cuidadosa no produto, e, se constatado que não houve nenhuma alteração, ele recebe a especificação da potência aplicada.

O amplificador de potência deve possuir no mínimo o dobro da potência a ser testada. Sobre os alto-falantes triaxiais, estes, em sistemas de alta potência, devem utilizar corte de frequência passa alta para não receberem as frequências baixas, combinados com as caixas de subwoofer. Lembrando que toda a medição de potencia RMS deve estar em conformidade com a norma NBR 10303, caso não seja mencionada está norma, de nada vale a potencia que o fabricante informa, pois pode ter sido “plantada clandestinamente” para enganar o cliente!




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *