Como saber se um veículo usado já foi batido?

carro batido

O que você vai aprender agora é que a partir de sites especializados você se livra de uma dor de cabeça ao checar 35 itens sobre o histórico do automóvel. Além disso, vai ter dicas de como fazer 4 avaliações para conferir se o carro já foi batido. Mãos à obra!

Mudanças de textura e irregularidades
Um carro com pintura refeita tem uma falha relativamente fácil de identificar. Como as oficinas nem sempre conseguem reproduzir o mesmo acabamento das montadoras, um veículo repintado não costuma estar liso. Na verdade deve haver uma ou outra rachadura e a cor é um pouco mais opaca.

Para notar essas diferenças, prefira fazer uma vistoria durante o dia. Com o reflexo da luz é possível notar manchas, principalmente em pinturas metálicas. Sobre irregularidades, um teste eficaz é ir até a traseira do carro e olhar lateralmente. Se encontrar ondulações há algo de errado.

Abrir e fechar as portas mais de uma vez também ajuda a conferir o estado da carroceria. Se elas não fecham perfeitamente, provavelmente houve uma batida ou o casco está torto. Confirme se encontra vãos além da conta nas portas e se há simetria entre os parachoques e se o teto está amassado ou irregular.

Um outro teste útil, neste caso para conferir a aplicação de massa plástica, é bater de leve pela carroceria. Se há mudança de barulho, provavelmente houve aplicação do produto, que é usado para corrigir imperfeições ocasionadas por batidas.

No caso de batidas frontais
O capô denuncia bastante se houve algum acidente. Antes de comprar o carango pretendido, abra o capô e verifique se há sinais de ferrugem nas soldas e se ele está alinhado. Soldas das montadoras dificilmente enferrujam.

Na parte da frente, onde fica o motor, confira se alguém soldou entre o painel e o paralama. Diferenças em relação às junções é uma prova de colisão frontal.

Nas torres, onde os amortecedores ficam afixados, também existe uma solda de fábrica que precisa ser verificada. Em geral as montadoras não deixam um acabamento perfeito nessas regiões e há uma certa elevação da solda, que com a pintura do carro deixa a junção lisa. Confira se a solda parece ter sido refeita e passe o dedo, pois se notar que o local não está liso, o veículo pode ter sido reformado.

Analisando batidas traseiras
Os funileiros, em geral, conseguem corrigir choques de diferentes intensidades na traseira. Um dos locais onde não acontece “milagre” é onde fica o estepe. Retire o pneu reserva e analise com cuidado a região.

Como em outras partes, pontos de solda comprovam a batida. O formato também denuncia: nunca pode estar oval.

Marcas de tinta, que podem ser vermelha, azul ou amarela, ficam em porcas e parafusos quando o carro sai de fábrica. Profissionais não reproduzem essas marcas quando há consertos.

Pintura fora do padrão para ano do carro
Por mais bem cuidado que o dono seja, um ano 2000 dificilmente estará com a pintura perfeita. Por isso, pese se o que você encontra está em concordância com o ano do veículo.

Algumas vezes, pequenos riscos e amassados denotam um carro usado, mas que nunca foi batido.

Se a parte externa está perfeita e o modelo tem mais do que cinco anos de uso, a carroceira pode ter ser sido repintada. Às vezes esse processo foi mais para melhorar a “cara” do carro do que maquiar uma batida também. Por isso, questione o vendedor.

Levar em um profissional
Se você conhece um funileiro ou recebeu a indicação de amigos, tente levar o carro para a avaliação desse profissional.

Por ter mais experiência que você, ele vai ter um olhar clínico para notar possíveis batidas. Na verdade, todos esses testes sugeridos aqui ele vai repetir.

Utilizando o Carcheck
O teste considerado como de grande segurança para comprar um carro “selado” é relizar uma consulta no Carcheck. Com uma pesquisa a partir da placa ou do número do chassi você consegue obter informações sobre remarcação do chassi, ocorrência de leilão, verificação de sinistro/acidentes, saber sobre antigos proprietários e outros 31 itens.

Esse serviço sai por menos de R$ 40, o que pode representar uma grande economia ao evitar que você compre “gato por lebre” e se arrependa da compra.

No Detran (Departamento Estadual de Trânsito) também é possível conferir pendências como multas e gravames. Por lei, no documento deve constar se o veículo foi sinistrado ou tem REM (chassis remarcado), mas nem sempre esse registro consta.

Pronto. Você agora tem informações suficientes para garantir seu usado no melhor estado e ter em sua garagem um carro em ótimas condições.

Com certeza você também tem algumas dicas, então compartilhe nos comentários. Se souber de histórias de compras que não deram muito certo, divida aqui para alertar outros motoristas.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *