Como saber se a quilometragem do carro foi adulterada?

odometro1

1) O carro tem manual?
O ideal é não comprar um carro usado sem ver o manual do proprietário. Nele está registrado o histórico de manutenção, quais revisões foram feitas, em que data e com qual quilometragem. Isso é um bom começo para você fazer uma conta e descobrir quantos quilômetros, em média, o antigo proprietário percorria por ano. Sabendo esse dado e a idade do veículo, dá para ter uma ideia se a marcação do hodômetro está proporcional.

2) Confira a última troca de óleo
Não há manual? Atenção maior a este e aos próximos itens. Verifique a quilometragem e a data da última troca de óleo descritas na etiqueta que está colada no para-brisas. Alguns golpistas baixam a quilometragem e se esquecem da etiqueta de óleo ou de uma nota fiscal de troca dentro do porta-luvas.

3) Notas denunciam quilometragem
Procure ainda no porta-luvas por notas fiscais de serviços ou revisões executadas. Nelas estão registradas as datas e a quilometragem. Não se esqueça: sempre deve haver uma proporcionalidade entre datas e a quilometragem. Se, por exemplo, você encontrar uma nota fiscal de substituição de correia dentada é sinal de que o veículo possui mais de 50 mil km.

4) Veja a situação dos pneus
Pneus carecas indicam quilometragem superior a 40 mil km. Se estiverem novos, o veículo deve ter até 10 mil km ou acima de 40 mil km (primeira troca).

5) A embreagem foi trocada?
Na maioria dos casos, amortecedores e embreagem substituídos indicam uma quilometragem superior a 60 mil km.

6) Confira sinistros e vistorias
Pergunte ao antigo proprietário qual era a companhia de seguros contratada. Faça uma cotação do seguro com a mesma empresa e procure saber se houve algum sinistro ou vistoria no carro. Caso a companhia responda positivamente, solicite a quilometragem do sinistro ou da vistoria.

7) Atenção às aparências
Falta de rugosidade no volante, na manopla do câmbio, desgaste nas borrachas dos pedais e no tapete, na região dos pedais, além de trincas de desgaste no couro das coifas do câmbio e do freio de mão indicam quilometragens acima de 80 mil km.

8) Peça laudo especializado
Se você não tem muita intimidade com carros pode solicitar a ajuda de seu mecânico de confiança ou ainda terceirizar a avaliação para empresas especializadas. Esse tipo de laudo é feito por algumas concessionárias quando recebem um veículo como parte de pagamento na troca por um zero quilômetro. Aquelas que não fazem isso estão sujeitas a pegar um carro com quilometragem adulterada. Portanto, procure saber se a loja que você escolheu tem como prática fazer a perícia. Isso dá mais segurança na hora de levar o seminovo para casa.

9) Desconfie sempre
Não baixe a guarda pelo tamanho ou aparência das lojas. Já foram identificados veículos com quilometragem adulterada até em concessionárias.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *