Dicas

Caixa dutada é melhor que caixa selada?

Antes de falar quais as diferenças entre os dois modelos de caixa de grave, saiba que é mito falar que caixa dutada é melhor que caixa selada. A caixa dutada só toca mais alto que a selada porque desalinhando o sistema (mudando o comprimento ou o diâmetro do duto) pode-se obter um ganho numa faixa estreita, ganhando-se dBs naquela região. Isto, porém, sacrifica a qualidade do grave produzido. Caixas seladas são tão boas quanto qualquer caixa dutada quando ambas são projetadas para se ouvir música com qualidade.

 Mas qual é o tipo de caixa ideal para o meu projeto de som? Uma caixa selada ou dutada?

CAIXA SELADA

Projetar uma caixa selada é mais fácil e barata, além de ser menor que a caixa dutada, ela não possui nenhum orifício que permita as ondas sonoras produzidas pelo seu falante escapar.

Com isso ela ganha uma melhor resposta aos graves de ataque – graves rápidos, como nas músicas de rock – , garantindo um som perfeito, sem  embaralhar a música ou ficar sem entender parte da música por causa do volume alto. No entanto, seu ponto fraco é que seu volume e tamanho são inferiores. Ao isolar totalmente as ondas dentro da caixa, perde-se uma quantidade significativa de decibéis, apesar da melhor qualidade de som.

CAIXA DUTADA

Por outro lado, a caixa dutada possui uma ou mais aberturas que permitem a saída de ondas sonoras produzidas pelo seu alto falante. Em cada saída são utilizados dutos de ar que alcançam a ressonância nas frequências desejadas.

Devido a esse pressão do ar ela ganha da caixa selada em volume dos decibéis, porém o ponto fraco da caixa dutada fica por conta da qualidade e definição. É provável que em músicas com graves mais rápidos, ela embole os sons, coloque uma batida sobre a outra e acabe com a sua música.  Já nas músicas com batidas mais longas e suaves, como é o caso do funk e da música clássica, o som fica simplesmente perfeito.

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário